“Detona Ralph”: Rendição dos Games no Cinema?

Os fissurados por games sempre foram carentes de uma obra cinematográfica que abordasse o tema e fizesse jus a todo esse universo (que é rico, criativo e imenso). Daí que a Disney em mais uma tentativa de dominar o mundo aparece com Detona Ralph, uma animação que tem, aparentemente, a missão de ser a rendição dos games no cinema. E a proposta vai por água abaixo…

detona5Inicialmente, vou esclarecer duas situações: primeiro, eu nunca fui muito fã de games (o que não me torna necessariamente uma pessoa não indicada a escrever essa crítica, como você verá mais a frente); segundo, eu gostei de Detona Ralph. Os gamers de plantão podem me criticar, mas não achei que o longa seja esse caos que muita gente chata tem falado. Pelo contrário: dentro daquilo que se espera das produções dos estúdios Disney, Detona Ralph é uma daquelas animações que agradam como um todo – mas nunca a um grupo específico.

Basicamente: a história gira em torno de Ralph, o “vilão” de um jogo de fliperama que, cansado de ser tratado com desprezo pelos outros personagens de seu universo, tenta conquistar uma medalha em outro jogo para ser finalmente reconhecido. Acontece que sem Ralph, o game corre o risco de ser desligado e, enquanto busca sua medalha, o vilão se mete em confusões que podem colocar em risco os demais jogos do fliperama.

detona2A idéia é criativa e as referências ao universo gamer estão ali. Mas, até para um ser que não conhece tanto de game (leia-se aqui “eu”), essas referências poderiam ser muito mais bem utilizadas, especialmente em relação aos personagens dos jogos. Um exemplo de boa utilização que poderia ser levada em todo o restante do filme é uma das cenas iniciais, quando Ralph participa de uma espécie de “reunião” com outros vilões – e ali encontramos alguns personagens clássicos e nostálgicos para os que nasceram entre as décadas de 80 e 90.

Obviamente, a Disney encontrou problemas para recriar essas personagens no filme devido ao licenciamento (o que pode ser usado e como pode ser usado). Talvez isso tenha “engessado” um pouco o roteiro quanto às referências gamers e tenha deixado os viciados em jogos eletrônicos um pouco decepcionados. Por outro lado, uma boa observação se faz presente aqui: as crianças de hoje, acostumadas com games em alta definição e histórias mirabolantes, não entenderiam muito bem tais referências. Falo isso com a certeza de quem assistiu ao filme em uma sessão recheada de crianças (na maior parte entre 3 e 10 anos) e constatou que os pirralhos não estavam muito empolgados.

detona3Outra observação aqui: quem foi que disse que a história era sobre jogos eletrônicos? Não, não é essa a intenção. A narrativa é sobre um personagem de um game inventado – o universo gamer só serve de plano de fundo para o desenrolar da trama, mas o filme em si não tem essa pretensão, apesar das referências estarem presentes. Se o longa não é sobre videogames, então, cada um vai dar a sua visão especial para a história – e, se tratando da Disney, não teríamos como esperar algo muito diferente, certo? Ou seja: o choro dos fãs mais alucinados por jogos não tem uma razão muito palpável.

Daí concluímos que Detona Ralph é uma daquelas produções que funciona bem para quem quer assistir a uma animação sem muita pretensão. Os personagens são divertidos e cativantes, enquanto a história segue por um fluxo coerente que desperta o seu interesse. É divertido – mas não te fará rolar ao chão de tanto rir. Apesar das comparações óbvias com Toy Story (os personagens do fliperama ganham vida quando as máquinas são desligadas, assim como os brinquedos de Woody quando não há um humano por perto), Detona Ralph não é um clássico conto de fadas da Disney, apesar de alguns elementos que remetem a tudo aquilo que consagrou a empresa – e talvez por isso tenha afugentado certos cinéfilos e gamers.

detona6Detona Ralph é um dos indicados ao Oscar de melhor animação, concorrendo com FrankenweenieValentePiratas PiradosParaNorman. Com muita  honestidade (afinal, fui assistir ao filme sem muita empolgação), acredito que é o único que mereça tirar o prêmio de Burton (se Valente faturar esse Oscar, eu faço uma carta de próprio punho à Academia), caso Frankenweenie não ganhe – fato para o qual já estou me preparando psicologicamente. Apesar de não agradar necessariamente nenhum grupo específico, Detona Ralph funciona, principalmente, para mostrar que a Disney ainda tem culhões para criar boas animações, ainda que muitos torçam o nariz para algumas de suas obras – prova disso  são as boas críticas que tem recebido (no site Rotten Tomatoes, ele tem 86% de aprovação). Bom, não se pode agradar a todos. Ralph que o diga…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s