As Mães Famosas do Cinema

Pois é, depois de quase um mês fora, estamos voltando à ativa!

Amanhã, segundo domingo de maio, é Dia das Mães! E se há dois anos atrás nós postamos uma matéria especial sobre mães e filhas famosas (texto que você confere aqui), esse ano resolvi listar algumas mães famosas das telonas.

Portanto, dê uma conferida na lista e veja se identifica sua mãe em uma dessas figuras abaixo:

1. Eva (Tilda Swinton) – Precisamos Falar Sobre o Kevin (2011)
O relacionamento entre Eva e seu primogênito Kevin sempre foi conturbado, mesmo quando o filho ainda era bebê. Com a chegada da adolescência, a situação foge do controle e complica quando Kevin (Ezra Miller) assassina brutalmente alguns amigos do colégio.

kevin

2. Ginger McKenna (Sharon Stone) – Cassino (1995)
No auge de sua beleza incontestável, Sharon Stone deu vida à Ginger, uma ex-prostituta de luxo, viciada em drogas e mãe de uma linda garotinha, fruto de seu relacionamento com o especialista em cassinos vivido por Robert De Niro. No longa de Scorsese, a mãe chega a amarrar filha na cama para poder se drogar em um bar – e ainda quer lutar pela guarda da filha após a separação do casal.

cassino

3. Lynn Sear (Toni Collette) – O Sexto Sentido (1999)
Na trama, Toni interpretava a mãe de um garotinho atormentado pelas visões de fantasmas (papel que consagrou o prodígio Haley Joel Osment). A cena final, em que todo o mistério do filho é finalmente revelado, está na lista das mais emocionantes do cinema – em um filme que reinventou o gênero de suspense.

sextosentido

4. Anne Deveraux (Renée Zellweger) – Tudo Por Você (2009)
Após descobrir a traição do esposo, a belíssima Anne Deveraux (vivida por Zellweger) decide abandonar o lar junto com os filhos em busca de um novo marido que possa cuidar dela e de suas crianças – em plena década de 1950. Entretanto, essa busca se torna uma obsessão e o que deveria unir a família acaba afastando mãe e filhos.

tudoporvocde

5. Jackie Harrison (Susan Sarandon) – Lado a Lado (1999)
Após ser diagnosticada com um câncer, Jackie tem ainda a difícil tarefa de conviver com a nova namorada do ex-marido, a jovem Isabel (Julia Roberts), que agora tem também a atenção das crianças para si.

ladoalado

6. Erin Brockovich (Julia Roberts) – Erin Brockovich, Uma Mulher de Talento (2000)
No filme que lhe rendeu o Oscar de melhor atriz, Julia Roberts vive Erin, uma mãe de três filhos que trabalha em um pequeno escritório de advocacia. Enquanto convive com as difíceis tarefas do lar, Erin ainda investiga um assunto que desencadearia um processo de mais de 300 milhões de dólares.

erinbrockovic

7. Chantale (Anne Dorval) – Eu Matei Minha Mãe (2009)
O relacionamento entre Hubert (Xavier Dolan) e sua mãe (Anne Dorval) é, no mínimo, tenso. O filho odeia tudo na mãe: suas roupas, seus gestos, suas manias. As coisas ficam ainda piores quando a mãe descobre que o filho é homossexual através de uma conversa entre amigas. Primeiro trabalho de Dolan, Eu Matei Minha Mãe foi recebido com entusiasmo pela crítica especializada.

eumateiminhamae

8. Erica Sayers (Barbara Hershey) – Cisne Negro (2010)
Excesso de preocupação também pode ser prejudicial. Em Cisne Negro, a bailarina Nina sofre com a mãe doentia cuja único projeto de vida é proteger a garota dos males da vida – ao invés de ajuda-la a enfrentar seus medos e frustrações. Suspense psicológico que deu o Oscar de melhor atriz à bela Natalie Portman.

cisnenegro

9. Margaret White (Piper Laurie) – Carrie – A Estranha (1976)
Nada contra religião, mas ter uma mãe fanática religiosa, definitivamente, não dá… Muitos dos problemas vididos por Carrie são de responsabilidade de sua mãe Margaret White, personagem clássica de Piper Laurie em Carrie – A Estranha. Na trama, a mãe chega até mesmo a omitir da filha que as garotas tinham menstruação – fato que levou a menina a sofrer bullying logo nas cenas iniciais da trama.

carrieaestranha

10. Rosemary Woodhouse (Mia Farrow) – O Bebê de Rosemary (1968)
O clássico de Roman Polanski conta a história de Rosemary que, durante a tão sonhada gravidez, começa a desconfiar de todas as pessoas à sua volta e tenta fazer de tudo para proteger o futuro de seu filho. Um dos melhores exemplos de terror psicológico no cinema, O Bebê de Rosemary é obrigatório para os amantes do gênero.

bebederosemary

11. Nic e Jules (Annette Bening e Julianne Moore) – Minhas Mães e Meu Pai (2010)
O casal lésbico vivido por Annette Bening e Julianne Moore é, talvez, o mais incomum na lista – mas merece um lugar aqui. Na trama, as duas personagens vivem dilemas que são comuns a todas as famílias – a mãe que abandona a carreira profissional para cuidar dos filhos, os pais que desconfiam da sexualidade do filho e se preocupam com seus amigos, o excesso de preocupação e autoridade de muitos progenitores, o filho que cresce e abandona a casa, entre outros.

minhasmaesemeupai

12. Ruth DeWitt Bukater (Frances Fisher) – Titanic (1997)
Toda mãe quer o melhor para seu filho, certo? Mas jogar nas costas da filha a responsabilidade de salvar a honra da família através de um casamento forjado não é pra qualquer uma. A mãe de Rose só não esperava que, durante a viagem que mudaria a vida de todos a bordo do navio, sua filha fosse se apaixonar por um passageiro da terceira classe e arruinar os planos da mãe.

titanic

13. Beatrixx Kiddo (Uma Thurman) – Kill Bill (2003/2004)
Ter como mãe uma assassina profissional que fica em coma durante quatro anos após ser espancada pelos membros do grupo de extermínio da qual fazia parte seria uma aventura e tanto, certo? Pois bem, essa é a história que Quentin Tarantino criou, em parceria com Uma Thurman, para a saga Kill Bill, cujo tema é um só: vingança.

killbill

14. Mãe do Stifler (Jennifer Coolidge) – American Pie (1999)
Todo mundo tem um amigo cuja mãe é gostosona! No caso do grupo de adolescentes da saga American Pie, o cara da vez era Stifler, cuja mãe arrancava suspiros de um dos seus amigos. Vale lembrar que este filme foi o responsável por popularizar, já no final da década de 90, o termo MILF (“Mom I’d Like To Fuck” – literalmente traduzido por “mãe com quem eu gostaria de transar”), referente ao fetiche sexual com mulheres mais velhas.

americanpie

15. Sra. Bates (Anthony Perkins) – Psicose (1960)
Em Psicose, do mestre do suspense Alfred Hitchcock, Norman Bates era atormentado pela memória da mãe, falecida há vários anos. A influência maléfica da mãe é, ainda que indiretamente, a grande responsável pelo assassinato cometido por Norman no hotel da família embaixo do chuveiro – naquela que é uma das mais famosas cenas do cinema.

psicose

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s