“Lincoln”: Sobra Didatismo, Falta Emoção

Às vésperas do Oscar, chega às salas de cinema nacional Lincoln, produção norte-americana dirigida por Steven Spielberg e que lidera o maior número de indicações ao Oscar deste ano – ao todo, são 12, incluindo melhor filme, número que Spielberg só havia alcançado 20 anos atrás com seu magnífico A Lista de Schindler. Entretanto, uma pergunta fica no ar: Lincoln é realmente tudo isso ou se trata apenas de mais um caso de patriotismo norte-americano?

4

Lincoln não mostra a infância do 16º presidente norte-americano até sua chegada ao poder, tampouco foca nos dramas pessoais do político. Na verdade, o longa, baseado na biografia escrita por Doris Kearns Goodwin, concentra suas forças nos quatro últimos meses de vida de Abraham Lincoln, entre janeiro e abril de 1865, quando o ex-presidente liderava um país dividido por sua mais sangrenta Guerra Civil (que ao longo de mais de quatro anos, dizimou cerca de 600 mil vidas). Com a guerra se aproximando do fim, Lincoln tinha ainda à sua frente a difícil missão de aprovar a 13ª Emenda Constitucional, que aboliria a escravidão no país.

1Justiça seja feita: Lincoln, de longe, não recebeu as indicações à toa. Se tratando de uma obra de Steven Spielberg, Lincoln tem todos os itens indispensáveis a uma produção bem sucedida. A começar pela bela fotografia e direção de arte, que recriaram a época com maestria, abusando de cenários em cores frias que contribuíram muito bem para a caracterização do período. Vale ainda mencionar a belíssima trilha sonora de John Williams – para mim, uma das melhores de sua carreira. Entretanto, estes aspectos técnicos não permitem que Lincoln seja um filme perfeito. Na verdade, não se levarmos em conta que é um filme de Steven Spielberg. Ao longo de sua carreira, Spielberg coleciona sucessos atrás de sucessos e criou uma obra muito particular. Alguns pontos marcantes do diretor faltam ao longa e isso acaba despertando certo receio nos fãs. Obviamente, Spielberg está cada vez mais maduro – e falar disso a essa altura do campeonato, de um diretor como Steven é algo que soa estranho, mas é a pura realidade.

3Acostumado a estar à frente de produções grandiosas e premiadas, Spielberg conseguiu com Lincoln o que já se esperava: muitas indicações e altos números nas bilheterias (o filme faturou apenas nos EUA mais do que o dobro do seu orçamento). Mas apesar dos números impressionantes, Lincoln é, talvez, o longa mais intimista de seu diretor. Se você espera algo com cenas de batalha espetaculares e efeitos especiais gigantescos (dá-lhe Spielberg!), sairá desapontado do cinema. Tudo isso, marca registrada do diretor, dá lugar a negociações políticas, marcadas por diálogos complexos para quem não conhece a mecânica política norte-americana, dadas quase que às escuras – e não estou fazendo referência à fotografia do filme. O longa se concentra na difícil tarefa de Lincoln em aprovar a Emenda que aboliria a escravidão no país, mas para isso o ex-presidente cria um processo de negociações não muito diferente do que temos no cenário atual (pressões, ofertas de cargos, concessões e privilégios, etc.).

2Também não espere um filme que vá te levar aos ápices das emoções ou que tenha muita profundidade a ser discutida. Os dramas pessoais de Lincoln são pouco explorados – e é nesse ponto que surge Sally Field, caracterizando a esposa de Lincoln, que perdeu um filho de febre tifoide durante o mandato do marido e é emocionalmente instável. Este é um dos poucos momentos em que se pode enxergar a figura humana de Lincoln, mas bem superficialmente. Ainda que Daniel Day-Lewis faça um excelente trabalho de caracterização (que fatalmente trará o 3º Oscar da carreira do ator), esse aspecto dramático é pouco explorado na trama, dando lugar aos conflitos políticos que tornam o filme uma bela aula de História, mas com poucos sentimentos. Daniel conseguiu recriar bem a personagem central. Cada detalhe que o ator estudou durante cerca de um ano foi transmitido em cena: a voz marcante, o jeito de andar desengonçado ou mesmo a maneira entusiasmada como contava suas histórias.

5No final, Lincoln se torna uma obra grandiosa, sim. Levando em consideração as produções que ganharam o Oscar de melhor filme nos últimos dois anos (O Discurso do ReiO Artista, respectivamente), Lincoln tem tudo para ser o grande nome da noite. Mas peca em mostrar os dramas do ex-presidente de forma tão superficial, fazendo com que o filme seja incapaz de emocionar o espectador. Mesmo ao tratar os dilemas políticos, faltou ainda um pouco daqueles discursos inspiradíssimos do político – o que certamente traria mais emoção à trama. Ao longo de quase duas horas e meia, Lincoln funciona bem no mercado norte-americano, mas por suas deficiências faz com que a produção seja excessivamente regional. Não que isso impeça os prêmios da Academia (patriota e puritana, como sempre). Lincoln impressiona como obra cinematográfica – mas o coração nunca atinge o espectador.

Retrospectiva 2012 – Parte 1: Os Filmes Que Não Postamos Por Aqui

Pois é, 2012 já está chegando ao fim (e o mundo não acabou – ao menos não até o momento em que escrevo esta resenha). E o ano foi bastante produtivo no que se refere às produções cinematográficas, que levaram milhões de cinéfilos apaixonados a desfrutar de momentos agradáveis enquanto assistiam aquele filme tão esperado.

Então, antes que 2012 chegue ao fim, nada mais justo do que dar uma olhada rápida naquelas produções que estrearam no circuito mundial em 2012, especialmente neste último semestre (já que temos um post com as estréias mais badaladas de 2012 e que você pode acessar aqui). Confira aquilo que você já viu, o que falta assistir e aquilo que você já marcou como “Não Quero Assistir” nas redes sociais. Certamente em um ano tão produtivo para a indústria cinematográfica, não vão faltar filmes para as três opções…

Katy Perry: Part of Me
Não, você não  leu errado: Katy Perry lançou um filme em 2012 (até agora me pergunto como ela conseguiu, afinal seu orçamento devia estar estourado com a quantidade de videoclipes lançados para o álbum Teenage Dream, mas aí é outra  história). O documentário acompanha a carreira de Katy, até estourar com a turnê de seu último álbum. E acredite: como documentário, a obra foi bastante elogiado. Vai entender…

katyperrypartofme
O Ditador
Sacha Baron Cohen lançou O Ditador e gerou opiniões distintas: houve quem amasse o filme, houve os que o detestasse. Particularmente, eu faço parte do segundo grupo. Faltaram boas piadas e um enredo menos “Casseta e Planeta”. A história do ditador que luta para que a democracia nunca alcance o país que tanto oprime, apesar de conter todo o humor ácido e sarcástico de Sacha, não conseguiu ter unanimidade para crítica e público.

oditador
Procura-se um Amigo Para o Fim do Mundo
Se tem um filme que me fez engolir o choro no cinema foi Procura-se um Amigo Para o Fim do Mundo. Com um roteiro simples mas incrivelmente cativante, trata-se da história de um homem que após o anúncio do fim da raça humana por conta de um asteroide que atingirá o planeta, é abandonado pela esposa e decide reencontrar seu amor de infância.

procuraseumamigoparaofimdomundo
Abraham Lincoln: Caçador de Vampiros
Se Sombras da Noite foi um fiasco de crítica e Frankenweenie foi aclamado como uma de suas melhores obras, Tim Burton ficou na média com Abraham Lincoln: Caçador de Vampiros, produzido por ele e dirigido por Timur Bekmambetov. A trama recria um dos maiores presidentes dos EUA como um matador de vampiros, tendo como fundo histórico a Guerra da Secessão .

abrahamlincoln
Ted
Um ursinho que fuma, fala palavrão e faz sexo no supermercado não é necessariamente o melhor presente e a ser dado a seu filho no Natal. O filme criou polêmicas no país quando um político sem noção levou o filho ao cinema e achou a história imprópria. De qualquer forma, como comédia, o longa protagonizado por Mark Wahlberg rendeu boas risadas aos expectadores – mas nada muito além disso.

ted
Looper – Assassinos do Futuro
Elogiado pela crítica por sua atuação na última parte da trilogia Batman de Nolan, Joseph Gordon-Levitt parece definitivamente ter se tornado uma escolha no gênero ação. Apesar de já ser um velho conhecido nosso, o ator foi destaque em 2012 e viveu em Looper um assassino do futuro cujo serviço é eliminar sua versão mais velha (interpretada por Bruce Willis), que se tornara uma ameaça para a máfia.

looper
Selvagens
Outro que tem ganhado destaque em Hollywood é Aaron Johnson. Selvagens, de Oliver Stone, conta a história de dois amigos que compartilham um próspero negócio de distribuição de maconha – e também a namorada. Quando a garota é sequestrada, ambos concordam em pagar a quantia negociada mas arquitetam um plano de vingança para reaver a garota e sumir de vez.

selvagens
As Vantagens de Ser Invisível
Baseado em um best-seller adolescente, As Vantagens de Ser Invisível se tornou um dos daqueles filmes que os jovens adoram amar. A história é  narrada por um adolescente tímido, que descreve toda sua vida em uma série de cartas a um anônimo, expondo todas suas experiências da juventude. O elenco “fofo” inclui a queridinha Emma Watson, da saga Harry Potter.

asvantagensdeserinvisivel
Magic Mike
Magic Mike é inspirado livremente na história de vida de Channing Tatum, ator que antes de virar celebridade hollywoodiana (???) teve que ganhar a vida como stripper aos 18 anos. No longa, Channing é um dançarino experiente que passa a orientar um novato nos “negócios”. Sim, se você quer ver homens dançando semi-nus, assista.

magicmike
Argo
Dirigido por Ben Affleck, Argo é um dos principais indicados ao Oscar em 2013. O filme se passa no final da década de 80, durante a revolução iraniana, quando um grupo de 6 pessoas escapam de militantes e se escondem na casa do embaixador canadense. Sabendo do risco que correm caso sejam descobertos, Tony Mendez bola um plano para retira-los em segurança do país.

argo
A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte 2
Acabou!!! A saga Crepúsculo finalmente acabou! Okay, okay, vou parar por aqui para ser imparcial… Ah, dane-se: acabou mesmo, com Amanhecer – Parte 2, e agora quem curte uma história vampiresca pode respirar aliviado (pelo menos, até a próxima modinha adolescente). Mas, comentários maldosos a parte, a série protagonizada por Robert Pattinson e Kristen Stewart vai deixar saudades para muita gente (não eu, obviamente)…

amanhecerparte2
A Origem dos Guardiões
Animação que chegou aos cinemas nas últimas semanas, A Origem dos Guardiões parece ter agradado (não chega a ter a qualidade de um Pixar, mas tem seus méritos). Abusando de lendas infantis, o filme conta a história de um espírito maligno que deseja transformar os sonhos de todas as crianças em pesadelos. É aí que entra a figura de Jack Frost, um garotinho invisível com o poder de controlar o inverno – e com a vocação de guardião que será imprescindível para combater as forças do mal.

aorigemdosguardioes
Curvas da Vida
Em um personagem típico, Clint Eastwood interpreta em Curvas da Vida um olheiro de baseball com problemas de visão que viaja para recrutar novos talentos. O filme ainda conta com Justin Timberlake, que interpreta um olheiro rival que irá se relacionar com a filha de Clint. Apesar de ser mais uma produção clichê na filmografia de Clint, o longa recebeu boas críticas do público.

curvasdavida
O Hobbit: Uma Jornada Inesperada
Apesar de não ser um clássico instantâneo como o primeiro filme da saga O Senhor dos AnéisO Hobbit conseguiu levar uma legião de fãs alucinados da obra de Tolkien aos cinemas, que estava ansiosos pelo prelúdio da saga já levada ao cinema pelas mãos de Peter Jackson. Apesar da boa recepção, entretanto, os fãs mais excêntricos alegam que falta alma e sobra efeitos especiais. Ao menos, se Peter Jackson queria faturar às custas da saga de Tolkien, isso ele conseguiu.

ohobbit
As Aventuras de Pi
As Aventuras de Pi é o novo trabalho de Ang Lee (de O Tigre e o DragãoO Segredo de Brockback Mountain) e, como não seria diferente em seus filmes, se tornou um sucesso. A história gira em torno de Pi Patel, filho do dono de um zoológico na Índia, que decide se mudar para o Canadá quando os negócios da família já não estão mais indo tão bem. Durante a viagem, ocorre uma tempestade e Pi sobrevive em um bote salva-vidas, mas tem que dividir o pequeno espaço com um dos animais do zoológico.

asaventurasdepi

E para quem já acompanha o site há algum tempo, fica aí embaixo o link com as críticas de outros filmes que passaram por aqui em 2012:

J. Edgar
A Mulher de Preto
Jogos Vorazes
Titanic 3D
Diário de um Jornalista Bêbado
Espelho, Espelho Meu
Branca de Neve e o Caçador
Sombras da Noite
Na Estrada
Valente
Batman – O Cavaleiro das Trevas Ressurge
Bel Ami
Frankenweenie

Mais estréias do 1º Semestre